Tom Zé – Todos os Olhos (1973)

Tom Zé, eterno inventor, tropicalista, gênio, louco, semiótico, crítico e etc acaba de lançar um disco/DVD ao vivo comemorando os 50 anos de carreira. Homenageio então o compositor pouco compreendido pelo público, mas amplamente aclamado pela crítica musical. Baiano da terra do Raulzito lançou esse disco em 1973 na maior cara de pau com um cu na capa bem na época da ditadura, vejam bem, esse não é o olho da visão. Na verdade a ideia foi essa, mas dizem que foi executada de outra maneira. De qualquer forma o que importa é a intenção e a impressão. Este não é um disco de rock, é um disco da tropicália, portanto escutem com paciência.


Faixas do álbum

1. Complexo de Épico (Tom Zé)
2. A Noite do Meu Bem (Dolores Duran)
3. Cademar (Augusto de Campos – Tom Zé)
4. Todos os Olhos (Tom Zé)
5. Dodô e Zezé (Odair Cabeça de Poeta – Tom Zé)
6. Quando Eu Era Sem Ninguém (Tom Zé)
7. Brigitte Bardot (Tom Zé)
8. Augusta, Angélica e Consolação (Tom Zé)
9. Botaram Tanta Fumaça (Tom Zé)
10. O Riso e a Faca (Tom Zé)
11. Um “Oh” e um “Ah” (Tom Zé)
12. Complexo de Épico (Tom Zé)

LINK – Todos Os Olhos

Parece com? Os Mutantes, Novos Baianos

Todo compositor brasileiro
é um complexado.
Por que então esta mania danada,
esta preocupação
de falar tão sério
de parecer tão sério
de ser tão sério
de sorrir tão sério
de chorar tão sério
de brincar tão sério
de amar tão sério?
Ai, meu Deus do céu
vai ser sério assim no inferno!

(Tom Zé em Complexo de Épico)

Categoria(s): MPB, Singer-Songwriter